Semana Cultural Convergências Portugal – Galiza ganha prémio

Santiago de Compostela, 25 de abril de 2018.- A Escola Oficial de Idiomas de Santiago de Compostela resolveu conceder o Prémio aRi[t]mar especial do júri “Embaixada da Amizade galego-lusófona” á iniciativa minhota Convergências Portugal-Galiza. A resolução foi dada a conhecer no simbólico 25 de abril português.

 

Com este prémio, o júri tenciona reconhecer, dentro do projeto aRi[t]mar galiza e portugal, aquelas pessoas, grupos de pessoas, instituições ou iniciativas que tenham contribuído para a divulgação da música e da poesia galego-portuguesa atuais, para aproximar a cultura e a língua dos dois países ao abrigo da Lei Valentim Paz-Andrade para o aproveitamento do ensino do português e os vínculos com a Lusofonia, e para estender pontes de amizade entre os dois povos irmãos.

A entrega desta distinção, bem como a das ganhadoras nas modalidades de música e poesia, far-se-á na Gala que se realizará em outubro no Teatro Principal de Santiago de Compostela.

As Convergências são uma semana de encontro cultural, musical e literário entre as duas margens do Minho que reúnem em Braga, Padrão e Santiago de Compostela artistas interessados em ampliar os horizontes de diálogo entre a Galiza e Portugal, celebrando tudo o que nos une com concertos, teatro, palestras, lançamentos e declamação de poemas.

As Convergências nascem com o objetivo de homenagear duas figuras importantes das letras e da música galaico-portuguesa: Rosalia de Castro e José Afonso, unidos pela proximidade das datas de nascimento e morte de ambos (24 e 23 de fevereiro respetivamente). Os textos deles tornam-se protagonistas cada penúltima semana de fevereiro.

As origens das Convergências prendem-se em velhas conversas na Casa de Rosalia de Padrão entre a cantora galega Uxía e Jaime Torres, membro do grupo musical Canto d’Aqui, que já tinha impulsionado previamente outras iniciativas em prol da irmandade luso-galaica, como o Festival Castro Galaico de Nogueiró (Braga) promovido pela Junta de Freguesia de Nogueiró.

O grupo musical Canto d’Aqui tem feito um trabalho muito importante na recuperação da música tradicional portuguesa e esse trabalho é óbvio que devia continuar com o fortalecimento das relações com o outro lado do Minho. É algo que sempre viram muitos bracarenses, mas só no último lustro um grupo deles nucleados pela banda Canto d’Aqui transformaram o velho anseio em realidade.

As Convergências realizam-se graças à implicação de várias instituições, como a Xunta de Galicia, os Municípios de Braga e Santiago de Compostela, o Conselho Cultural da UMinho, o Instituto de Letras e Ciências Humanas da UMinho, o Centro de Estudos Galegos da UMinho, a União de Freguesias de Nogueiró e Tenões, a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, a Associação José Afonso, a Antena 1 e os conservatórios Calouste Gulbenkian de Braga e Bomfim. Quer dizer, contam com o respaldo de uma ampla rede de apoios muito importantes quer a Norte quer a sul do Minho e também por isso poderão vir a reforçar laços já estabelecidos.